SBEM DF - Site da Regional Distrito Federal da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

O que é Endocrinologia

A Endocrinologia é uma área da medicina dedicada ao estudo das glândulas endócrinas e seus hormônios, que são substâncias secretadas na corrente sanguínea com o papel de atuar na regulação de diversos mecanismos no corpo.

Alguns dos principais campos de atuação do endocrinologista são:

Diabetes: Ocorre quando há alteração dos níveis de glicose do sangue que pode ser decorrente da falta de produção ou de ação da insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas. O diabetes constitui um importante fator de risco cardiovascular e pode estar associado a problemas renais, comprometimento da visão e alterações neuropáticas que podem vir acompanhadas de deformidade ou úlceras nos pés. 

Dislipidemias: Alterações nos níveis de colesterol no sangue podem contribuir para aterosclerose e, consequentemente, aumento do risco cardiovascular. As causas podem ser primárias (genéticas) ou secundárias. O diagnóstico é realizado por meio da medida das concentrações de colesterol total e suas frações. 

Doenças da Tireoide: Os hormônios tireoidianos desempenham papel importante na regulação do consumo de energia no corpo. O hipotireoidismo é uma doença que leva a redução na produção dos hormônios tireoidianos ao passo que o hipertireoidismo leva a uma produção aumentada desses hormônios. Outras doenças comuns na tireoide são os nódulos, bócio (aumento exagerado da glândula), Doença de Graves e Tireoidite de Hashimoto.

Obesidade: A obesidade é uma doença crônica, multifatorial e de difícil tratamento que envolve um acompanhamento com equipe interdisciplinar. O excesso de peso é reconhecido como uma doença por conta dos diversos problemas de saúde que o acompanham, como diabetes, colesterol elevado, hipertensão, problemas articulares, além de graves transtornos sociais e psicológicos. 

Osteoporose: É uma doença na qual ocorre diminuição e piora na qualidade da massa óssea, levando a um maior risco de fraturas por fragilidade. Embora a ocorrência seja maior no sexo feminino após a menopausa, os homens também podem ter a doença. Os fatores de risco associados são envelhecimento, sedentarismo, consumo excessivo de álcool, tabagismo, deficiência de vitamina D, doenças crônicas e uso prolongado de algumas medicações, como os corticoides.

Doenças que afetam o crescimento e desenvolvimento: Crianças que desenvolvem precocemente mamas ou pelos pubianos, podem apresentar distúrbios hormonais que necessitam de avaliação, assim como, adolescentes que não desenvolvem essas características. Da mesma forma, distúrbios do crescimento também necessitam da mesma atenção, pois podem ocorrer devido a problemas hormonais, nutricionais, sociais ou genéticos. 

Distúrbios relacionados a menstruação: Alterações do ciclo menstrual, como a ausência de menstruação, podem significar problemas hormonais. Dentre as causas mais comuns, a Síndrome dos ovários policísticos pode vir acompanhada de características decorrentes do excesso de hormônios masculinos, como o excesso de pelos e acne.

Doenças da Hipófise: A hipófise é uma glândula localizada em uma região na base do crânio chamada de sela túrcica. Ela é responsável pela produção e regulação de vários hormônios. Tumores da hipófise podem levar a alterações do ciclo menstrual, presença de leite nas mamas fora do período de amamentação, mudanças faciais, aumento do número do sapato, dores de cabeça e distúrbios da visão.

Doenças das glândulas suprarrenais: Localizada no polo superior de cada rim, as adrenais podem ser acometidas por tumores produtores de hormônios que podem resultar em hipertensão de difícil controle e síndrome de Cushing, um quadro decorrente do excesso de cortisol. Indivíduos com níveis elevados desse hormônio no sangue podem apresentar ganho de peso, principalmente na região abdominal, estrias avermelhadas, excesso de pelos e edema de face. 

Doenças das paratireoides: Estas quatro pequenas glândulas localizadas atrás da tireoide são responsáveis pelo equilíbrio de cálcio no sangue. Distúrbios que afetam as paratireoides podem vir acompanhados de níveis elevados ou reduzimos de cálcio, e o indivíduo pode apresentar formigamentos, constipação, câimbras, pedras nos rins e alteração da massa óssea.

Reposição hormonal na pós-menopausa: o climatério pode vir acompanhado de diversos sintomas que geram desconforto e redução na qualidade da vida da mulher, como as ondas de calor. Em casos selecionados, pode ser necessária a reposição com hormônios femininos.

<< Voltar

Veja também

Outras doenças tratadas por endocrinologistas

Doenças da hipófise tais como: hipopituitarismo, acromegalia, adenoma de hipófise, prolactinoma etc.,

Doenças das supra-renais, tais como: insuficiência adrenal, síndrome de Cushing, feocromocitoma, hiperaldosteronismo.

Doenças das paratireoides, tais como: hipoparatireoidismo e hiperparatireoidismo.
Doenças que afetam o crescimento, tais como:baixa estatura, gigantismo, raquitismo, etc

Doenças neoplásicas da tireoide: carcinoma medular da tireoide, carcinoma papilífero, carcinoma folicular

Doenças que afetam o desenvolvimento: puberdade precoce, telarca e pubarca precoce (aparecimento de mamas e pêlos, respectivamente, em meninas menores que 8 anos e meninos menores que 9 anos). Puberdade tardia (ausência de início da puberdade após os 13 anos em meninas e 14 anos em meninos).